Jardim do Minotauro

performance/instalação, 2010

Residência Ateliê Aberto #3
Casa Tomada, 2010.

​Vídeo by Habacuque Lima

Registro fotográfico by Casa Tomada e Rita Soromenho

1

 

O projeto Jardim do Minotauro surgiu no ano de 2010, tendo o desenho como principal elemento do trabalho. Durante aproximadamente três meses desenvolvi experimentos e vivências, fazendo parte da residência Ateliê Aberto #3 no espaço independente Casa Tomada, explorando as possibilidades do corpo no espaço através do meu contato com o desenho. Foram feitas duas ações em um canto da Casa. Na primeira ação, cobri as paredes e janelas com pedaços dos meus cadernos de anotações e desenhos relacionados com o projeto. Na segunda ação, realizada no dia da abertura da exposição Ateliê Aberto#3, me encontrava neste mesmo canto em meio a ramos de flores secas, entulhando-os dentro de vasos, enquanto era passado um vídeo com as mesmas ações, criando uma imersão na própria repetição do ato em si. A ação era repetida sem cessar, trabalhando os movimentos das mãos que preenchiam o espaço provido e desprovido; o espaço inventado e o espaço tomado.

2

mãos que se desdobraram pelo avesso, luva da própria forma, na gastura da procura, no “o fazer”, no “o destruir” (..) que arrancavam violentamente flores carnívoras que traziam o bucho cheio de insetos condenados, que colhiam devagar e cuidadosamente flores para serem cheiradas com uma tal intensidade como se as incorporasse. (…) que ligam a mim o objeto, que o afasta do seu uso, instituindo-o na sua poética, que nunca passam a página de um livro escrito, mas que escrevem e descrevem círculos sem álgebras ou matemáticas, que ensinam e propõem um caminhando, que corta este “caminhando”, engolindo-o até a imanência do ato. (Lygia Clark)

Isadora Ferraz © Todos os direitos reservados. São Paulo / Brasil. 2018.

  • Black Pinterest Icon
  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now