Para muitas

 

 

Vestido curto cores elas me alegram minhas filhas ilhas de um amor oceânico profundo é a direção do amor de mãe de duas cópias minhas certezas minhas virtudes meus defeitos devo ter feito tudo certo vermelho acima na escala dégradé me agrada grades não me prendam nem a elas Tarsila e Janine ninei muito com a intensidade de quem se esvai da cidade e deixa somente um rastro rasgo de olhar maroto de um olho já roto e que ainda se surpreende com a luz e as formas das sombras sobra querer bem boa esta ocasião de vestir curto e arejado já que faz calor perto de nós dentro e foragido de alguma refrescância na pele suada e sua um pouco nossa nessa vontade de expandir através delas e das gargalhadas que damos mulheres unidas que somos não espero crescerem somos já únicas unidas em espelhos perfeitos peitos abertos peitos de fora e peito mulher de peito

 

Ave Maria nave mãe me carrega nos momentos unânimes de encheção de saco sacudo a cabeça espalho ideias de dias melhores filhas que uma mãe podia ter terra seca época dura nave mãe me faz voar num voal balançante de vento nas ventas nas vendas de almas que tardam a planar para longe léguas sete sorrisos me guardam a porteira passa passa período de iodo que não limpa minhas filhas roupas rotas rotas perdidas ave Maria orienta meu caminho moinho a triturar verdades e sonhos

 

Uma fica outra vai mundo moinho sonhos vazios vadios vadia de fúria atiro no alvo branco de quem fez tudo e mais um pouco dinheiro muito amor tecendo rede de alento lenta fusão com uma partida com outra destino tino teimoso de quem erra e conserta certa emoção de chuva a cair.


Tempo temporal de voltas retornos entorno de mim lágrimas de felicidade dos netos pequenos e eu a chorar a vinda da que foi afoita aflita e chega agora agonia não colo para todos e mais um pouco.

 

 

 

 

 

 

 

M18M: Por quais mares já navegou? 

 

Stella Arbizu: 7 mares, 7 fazeres. E agora, quero fazer da escrita o meu principal fazer. Rumo certo na proa e na popa. Alguns desvios para bombordo e estibordo são esperados e muito bem-vindos. É disso que a vida se faz e a escrita preenche a carta náutica. Vida ao mar! Além disso, sou co-criadora do TEM GENTE ESCREVENDO, que reúne vinte escritores escrevendo sobre o mesmo tema, quinzenalmente.

 

 

  

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Projeto SAMAMBAIA © Todos os direitos reservados. São Paulo / Brasil. 2017.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now