sem título

 

 

 

sp

 

á sp era

inó sp ita

                          rí sp ida

                        dé sp ota

ho sp ital

ho sp edagem

                    dese sp ero

                   desre sp eito

  su sp eita

per sp ectiva 

                         in sp ira 

                          e sp úria

au sp ício 

ho sp ício

                         bi sp o

                        go sp el

 di sp uta 

de sp ida

                        cu sp e

                          e sp etáculo 

e sp anto

e sp eranto 

                        de sp ejo

                         di sp aro

 

             dí sp ar

 

 

 

 

 

M18M: Por quais mares já navegou? 

 

Marise Hansen: Essa reposta vai na forma do poema "Peixe", do meu livro "Porta-retratos": Pior que peixe fora d’água | É ser peixe em água turva | (não se enxerga onde se nada) | Ser peixe em água dura | (onde não se nada nada). | Ser peixe em água mole | Que se molda e insinua | Que se conforma e curva | Que não bate nem perfura. | Nadar em mar conhecido | Amanhecido, viciado, | Mar de cantos, esquinas, | Caras e cartas marcadas. | Escalar a correnteza | Sendo peixe de oceano | Ter de rio o espírito | E súbito ver-se no mar | Morto por engano. | Ter de nadar em mar | “de soberba desatada” | Querendo gostar os mares | “nunca dantes navegados”. | É procurar o cardume | E encontrar a manada | Estar em água cercada | De terra por todos os lados. | É em rede aprisionado | Ver moles de peixes passando | Livres, desafogados, | Exibindo reluzentes | quatro estilos de seu nado.

 

 

 

 

 

 

  

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Projeto SAMAMBAIA © Todos os direitos reservados. São Paulo / Brasil. 2017.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now